TRABALHO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA DO CEARÁ RESULTA NA REDUÇÃO DE 53,6%TRABALHO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA DO CEARÁ RESULTA NA REDUÇÃO DE 53,6%

O Ceará chega ao 15° mês de redução nos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs), que é a metodologia utilizada pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE) para contabilizar os homicídios dolosos/feminicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios. Os números foram compilados pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), vinculada à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). No acumulado dos seis primeiros meses deste ano, se comparado com o mesmo período de 2018, foi registrada uma diminuição de 53,6% nos CVLIs do Estado, passando de 2.380 para 1.105 casos. A redução representa 1.275 vidas salvas no período.
Entre os territórios, a maior queda foi em Fortaleza, com -57,7%, indo de 780 casos, em 2018, para 330, neste ano. Outro dado importante registrado pela SSPDS é que durante 33 dias, nesses seis meses, Fortaleza não registrou nenhum homicídio. A Capital chega ao seu 16° mês seguido de queda. Em seguida, vem o Interior Norte, com -54,4%, caindo de 463 para 211. Na Região Metropolitana, a retração foi de 51,6%, diminuindo de 704 para 341. Por último, está o Interior Sul, que foi de 433 para 223, correspondendo a redução de 48,5%. O resultado semestral do Ceará é o melhor em dez anos. A última vez que o Estado registrou um balanço inferior a 1.105 CVLIs foi durante os primeiros seis meses de 2009, quando aconteceram 1.091 crimes.
As informações foram divulgadas durante coletiva de imprensa, na sede da pasta, em Fortaleza. Durante a reunião que aconteceu no Centro de Comando e Controle Regional (CICCR), estiveram presentes, além do secretário André Costa e dos chefes das vinculadas (Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Perícia Forense e Supesp), o secretário da Administração Penitenciária (SAP), Mauro Albuquerque; e representantes de outras instituições ligadas à Segurança Pública (Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Ministério Público do Estado do Ceará, Defensoria Pública do Estado do Ceará, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Ordem dos Advogados do Brasil).

Leave a Reply

Your email address will not be published.