Governo do Ceará investe em infraestrutura para gerar emprego e renda

O Governo do Ceará está investindo em infraestrutura para gerar emprego e renda aos cearenses. Programas como o de requalificação de rodovias, através do Ceará de Ponta a Ponta, abrem postos de trabalho em todas as regiões do Estado. O hub tecnológico, com 14 cabos submarinos de fibra ótica e o Cinturão Digital, está atraindo novos investimentos e negócios para o Ceará. Além dos hubs aéreo e marítimo, que movimentam o turismo, indústria e comércio do estado.

Com sua posição estratégica, o Porto do Pecém facilita o tempo de trânsito para a Europa, Estados Unidos, Ásia e África, atraindo oportunidades e parcerias internacionais, como o Porto de Roterdã, na Holanda, o maior da Europa. Em julho último, foi registrada a movimentação de 1.706.961 toneladas de cargas no Porto do Pecém, a melhor movimentação já contabilizada em um único mês desde que o terminal portuário começou a operar, em março de 2002. Já são mais de 59 milhões de toneladas movimentadas nos últimos cinco anos, numa estrutura de mil hectares de área.

Essa infraestrutura do hub marítimo permite que o Complexo Industrial e Portuário do Pecém fomente a geração de emprego e renda no Ceará. Exemplo é Gleyce Hellen (19), há três meses trabalhando no CIPP. Nascida no município de São Gonçalo do Amarante, a garota teve seu primeiro contato com o Porto do Pecém em 2018, através do Projeto Primeiro Passo, do Governo do Ceará, que qualifica profissionalmente adolescentes e jovens da rede pública de ensino. Antes mesmo do fim do projeto, em julho deste ano, Gleyce foi surpreendida com o convite para continuar atuando no setor em que estava lotada, o Compras e Contratos, mas como colaboradora do CIPP. Após ingressar no porto, Gleyce começou a estudar logística e enxerga uma grande oportunidade de permanecer trabalhando na empresa. “Aqui eu posso crescer, trabalhar e ainda continuar no morando no local em que eu nasci, perto da minha família e amigos”, diz Hellen.

Com mais oportunidades e negócios para o Ceará, o hub aéreo proporciona diariamente 138 frequências nacionais e, semanalmente, 48 frequências internacionais, fortalecendo a vocação turística do estado. No primeiro semestre deste ano, o Aeroporto de Fortaleza recebeu 99% mais estrangeiros, número que fez do Ceará o estado com mais aumento na quantidade de passageiros vindos de outros países. Foram 129,4 mil visitantes internacionais em voos diretos, a maior porta de entrada de turistas estrangeiros do Nordeste. O resultado, empregos diretos e indiretos ligados ao turismo na capital e interior do estado.

Conectividade

O Cinturão digital conecta 90% da população urbana do Ceará. Essa infraestrutura possui mais de 8 mil km de fibra ótica de alta velocidade, espalhadas por mais de 2 mil pontos de acesso, conectando diariamente milhões de cearenses. “Estamos desenvolvendo um segmento importante desse cenário, que é o segmento dos provedores de acesso à Internet. Nos últimos quatro anos surgiram mais de 500 provedores de internet dentro do estado, que geram mais de 5 mil empregos e movimentam anualmente mais de R$1,4 bilhão. Isso de fato é uma nova economia que surgiu dentro do nosso estado, fruto do que a Etice e o Governo do Estado estão implementando no Ceará nos últimos anos”, comenta Adalberto Pessoa, presidente da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice).

Além disso, o Ceará conquistou a posição de principal centro de telecomunicações da América Latina, com 14 cabos submarinos de fibra ótica de alta velocidade conectando as Américas, Europa e África. A inovação tecnológica é porta de entrada de novos investimentos que também geram emprego e renda.

Obras públicas

O Ceará de Ponta a Ponta já entregou mais de 2.135 km de estradas e outros 724 km estão em andamento. São mais de 120 trechos de rodovias, reduzindo os custos de transportes e abrindo caminho para o desenvolvimento do turismo, da indústria e do comércio. O programa gera 7.200 postos de trabalho em todas as regiões do estado, além dos empregos indiretos gerados.

A Superintendência de Obras Públicas (SOP) contabiliza cerca de 700 obras de rodovias e edificações em andamento. Somente a construção do Hospital de Limoeiro do Norte gerou, no ápice da obra, 700 empregos diretos. A obra da Arena Romeirão deve gerar a mesma quantidade de postos de trabalhos diretos e a expectativa é de que o Complexo Estação das Artes, no Centro de Fortaleza, deve gerar até 1 mil vagas de emprego. “A construção civil tem impacto muito grande na geração de emprego e renda, especialmente da maneira como o Governo do Ceará está fazendo, dando impulso nas obras de rodovias e edificações, fazendo o dinheiro circular melhor em todo o Ceará”, afirma o superintendente da SOP, Quintino Vieira.

Há canteiros de obras também para a construção da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. No Centro, que será o ponto de partida da nova linha, os serviços se dividem em várias frentes, com as escavações da estação Chico da Silva e a conclusão da montagem e teste das tuneladoras, que são as máquinas que escavarão os túneis, e da fábrica de anéis de concreto.

 

A execução dos trabalhos conta com cerca de 500 colaboradores, entre eles o eletricista Valter Mendes (43). Pai de três filhos, ele está desde janeiro trabalhando na obra da Linha Leste do Metrô de Fortaleza ao lado do seu primogênito. “Graças a Deus já está trabalhando aqui com a gente. Esse já é casado e tem a família dele”, disse o eletricista, que tira da obra o dinheiro para ajudar o restante da família. “Outro (filho) já cursa faculdade e está morando no Chile. De vez em quando ajudo com alguma coisa. O mais novo ainda é pequeno e mora comigo. É daqui que tiro meu sustento e pago a prestação da minha casa própria”, declarou Valter.

One comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.